fbpx

Erga-se, você é um vencedor!

Quantas quedas, quantos obstáculos você vai ter que passar ainda para provar a si mesmo que suas virtudes, que sua habilidades, que toda a força que tens, são suficiente para ultrapassar seus próprios limites?
Por quantos grandes problemas você já ultrapassou e está aqui?

Lembra  daquele “problemão”  que você imaginava ser o maior do mundo, que ninguém compreendia o que você estava sentindo, que você tinha certeza que aquela angústia toda iria te  derrotar e você jamais seria a pessoa que é hoje?

Porque em cada olimpíada se bate recordes? É porque o próprio ser humano não sabe até onde pode chegar. Você já se perguntou o tamanho de sua força? Se você  está me ouvindo agora e sua crença é que nunca vai passar por este obstáculo, comece a abrir não somente portas, mas janelas de sua vida. Um novo horizonte se abre a cada manhã. Surgirão sempre novas oportunidades, novas pessoas que definitivamente te engrandecerão, que literalmente farão de você próspero,  satisfeito e pronto para ser uma nova pessoa em uma nova vida.

Não que sua felicidade dependa de alguma pessoa, mas sempre procure realizar o que ama ao lado das pessoas  que verdadeiramente você ama.

Erga-se agora e se precisar cair muitas vezes caia, sinta,  vivencie cada lágrima, e sempre aprenda que cada tropeço está lhe trazendo grandes ensinamentos e que edificarão sua vida.

Perder, errar, se frustrar, se decepcionar é algo que a princípio parece ser derradeiro pra que você vá ao fundo do poço, mas de repente você percebe que este buraco tem molas e ao sair daquele lugar escuro, duvidoso, terrível, você enxergará uma nova luz, novas energias, e tão logo estará melhor, mais cativante, mais especial para receber o que o Universo lhe oferecer e este nunca mais vai parar de ser seu companheiro em todas suas conquistas.

O que realmente vale é a beleza através da essência, é essa que ficará para sempre. Tudo se deteriora. Até o ouro e a prata. Portanto, ficarão sempre os grandes momentos vividos. Porque pensar no que de ruim ocorreu, troque isso, ressignifique e comece a viver uma vida extraordinária, uma vida em abundância, sendo você e mais ninguém o protagonista de sua própria história.

As derrotas acontecem. Nem todas as batalhas são feitas para serem vencidas por nós, e muitas vezes aprendemos muito mais com uma derrota do que com uma vitória. Se soubermos aproveitar as nossas experiências para crescer, uma derrota pode nos mostrar os nossos pontos fracos, e o que precisamos melhorar para não continuar cometendo os mesmo erros.

Não vale a pena manter-se para baixo, sentir-se fracassado ou humilhado, e nem se apegar à derrota. É preciso entender o que aconteceu e sofrer, mas sofrer somente na medida da derrota. Depois, já é hora de olhar para trás de modo analítico e ver, de forma objetiva, o que podemos melhorar e já começarmos a nos preparar para a próxima batalha.
A vida não espera! Se nós não soubermos nos recompor, virão novas e novas batalhas e nós não estaremos preparados para elas. Por isso, depois de uma derrota, respire fundo, recomponha-se o quanto antes e prepara-se para seguir em frente!
 
Psicólogo – Júnior Chisté.

Teste seu nível de autoestima

Autoestima é a capacidade que uma pessoa tem de confiar em si própria, de valorizar-se, de amar-se e saber expressar suas próprias aspirações e necessidades da maneira apropriada sem infringir direitos e respeitando os sentimentos dos outros. Faça o teste e veja como anda sua autoestima.

As afirmações abaixo referem-se ao seu nível de autoestima. Responda com a máxima sinceridade levando em conta como você realmente é, e não como acha que você deveria ser. Responda de acordo com o critério abaixo, fazendo um X na letra correspondente. Para cada afirmação assinale apenas uma opção.

S = Sempre ou quase sempre F=Frequentemente
O = Ocasionalmente
N = Nunca ou quase nunca

1. Normalmente me sinto muito bem e continuamente penso como é gostoso poder viver S F O N

2. Quando enfrento adversidades ou tenho experiências negativas, invariavelmente consigo descobrir benefícios ou aprender algo novo e positivo com esses episódios S F O N

3. Tenho por hábito encorajar a mim mesmo e as pessoas com quem me relaciono tanto em casa como no trabalho S F O N

4. Mesmo que eu não goste, quando cometo um erro admito-o sem relutância, nem constrangimento S F O N

5. Acredito que minha felicidade depende dos outros (não de mim) S F O N

6. Faço o que acredito que é certo, mesmo que eu seja alvo de críticas ou gozações S F O N

7. Quando recebo elogios fico constrangido ou envergonhado S F O N

8. Sinto-me ofendido, magoado ou abatido quando recebo críticas S F N O

9. Meu lema é: “Se você não tem nada de bom a falar sobre alguém, então não fale nada”. S F O N

10. Costumo me queixar das coisas (por exemplo: do chefe, do trabalho, da família, do governo, da situação econômica, do salário etc.) S F O N

11. Mesmo sabendo que eu sempre tenho que melhorar, sinto-me bem comigo mesmo (minha forma de falar, de andar, de rir, meus gestos, minhas expressões faciais etc.) S F O N

12. Me magôo, me constranjo ou me humilho com certa facilidade S F O N

13. Sei o que eu quero da vida, tenho objetivos e metas claramente definidos e persigo-os mês a mês S F O N

14. É comum eu sentir-me desanimado e desmotivado S F O N

15. Quando alguém é agressivo comigo reajo com agressividade, ou, ao contrário, eu me retraio S F O N

16. Embora eu não pare de lutar, muitas vezes sinto-me vítima das circunstâncias S F O N

17. Gosto de desafios e de estar sempre aprendendo coisas novas S F O N

18. Encaro com confiança obstáculos e adversidades, pois acredito que posso superá-los um a um. S F O N

19. Respeito as pessoas na mesma proporção em que quero ser respeitado (você é assim?) S F O N

20. Para ser aceito pelas pessoas às vezes faço coisas contra a minha vontade S F O N

21. Tenho dificuldade de relacionar-me com as pessoas S F O N

22. Me preocupo muito com o que as pessoas pensam a meu respeito S F O N

Verifique sua pontuação conforme gabarito abaixo
Questão S F O N

1 3 2 1 0
2 3 2 1 0
3 3 2 1 0
4 3 2 1 0
5 0 1 2 3
6 3 2 1 0
7 0 1 2 3
8 0 1 2 3
9 3 2 1 0
10 0 1 2 3
11 3 2 1 0
12 0 1 2 3
13 3 2 1 0
14 0 1 2 3
15 0 1 2 3
16 0 1 2 3
17 3 2 1 0
18 3 2 1 0
19 3 2 1 0
20 0 1 2 3
21 0 1 2 3
22 0 1 2 3
TOTAL DAS 4 COLUNAS___________

De 50 a 66 pontos. Você tem uma excelente autoestima. Sabe enfrentar adversidades com confiança, tem uma visão positiva de si mesmo, valoriza suas habilidades e acredita em suas potencialidades. Siga em frente e mantenha-se neste nível. Se não confundir autoestima com arrogância, ou autossuficiência, terá todas as chances de sucesso profissional, pois saberá ser humilde, agir com maturidade e valorizar as pessoas.

De 36 a 49 pontos. Esta pontuação revela uma autoestima média. Em determinados momentos você enfrenta com galhardia adversidades e obstáculos já, em outros, sente grandes dificuldades em fazê-lo, talvez porque não confie totalmente em suas habilidades e competências, ou sinta-se inibido diante de certas situações. Procure analisar suas atitudes, acredite mais em suas capacidades e concentre seus esforços em descobrir, reconhecer e desenvolver seu devido valor. Sobre a autoestima, sugiro que veja os testes de Inteligência Emocional, Missão de Vida e de Resiliência. Poderão ser úteis a você.

Abaixo de 36 pontos. Esta pontuação revela uma baixa autoestima. É provável que você tenha perdido o prazer de desfrutar as coisas – e, mesmo, de viver -, por conta de uma percepção negativa de si mesmo e do ambiente que te cerca, e isso influi diretamente na qualidade de suas escolhas e decisões, e no seu relacionamento com as pessoas. É fundamental que você fortaleça sua autoestima através de cursos, livros e contato constante com pessoas positivas, realizadoras e de “alto astral”. Considere também a opção de fazer psicoterapia para melhorar suas chances de sucesso pessoal e profissional. Veja em outra parte deste livro os testes de Inteligência Emocional, Missão de Vida e de Resiliência, que serão grande utilidade para você.

Comentários sobre autoestima Autoestima é a capacidade que uma pessoa tem de confiar em si própria, de valorizar-se, de amar-se, de sentir-se capaz de enfrentar os desafios da vida, e saber expressar suas próprias aspirações e necessidades da maneira apropriada para si e para os outros. Em resumo, é saber aceitar-se a si mesmo, sabendo que tem o direito de ser feliz, sem sentir-se culpado por isso e sem invadir os direitos, interesses e necessidades das outras pessoas.

Muitos confundem autoestima com egocentrismo ou egoísmo. O egoísta é centrado em si mesmo e em suas próprias necessidades, enquanto que a pessoa de elevada autoestima ama e respeita a si própria, por isso sabe que os outros merecem o mesmo respeito e têm o mesmo direito de serem felizes e realizados.

Autoestima e autoconfiança são irmãs gêmeas e andam sempre juntas. Não é algo com as quais as pessoas já nascem. Elas resultam de uma combinação de três fatores principais:

1. Habilidades aprendidas: autoestima (assim com a autoconfiança) é uma combinação de habilidades e competências adquiridas ao longo da vida. Ela pode ser aprendida.

2. Prática: Pode parecer estranho, mas mesmo que dê a impressão de ser algo espontâneo, a autoestima principia e se desenvolve através da prática contínua. Trata-se de atitudes e comportamentos que vão se cristalizando ano a ano até transformarem-se, mais tarde, em hábitos espontâneos e inconscientes de quem a pratica.

3. Foco interno: É o principal dos três fatores. Autoestima e autoconfiança resultam do que os psicólogos chamam de foco interno de controle, ou seja, o ponto central do indivíduo. Significa que pessoas que se autodirecionam e responsabilizam-se por suas escolhas e decisões, têm maior autoconfiança e maior autoestima por estarem centradas e alicerçadas em sólidos valores e princípios pessoais de vida. Esse foco interno faz com que você procure conviver com pessoas idênticas ao seu modo de ser e pensar.

Não por acaso Brian Tracy, um dos mais respeitados consultores americanos de motivação e vendas, faz uma pergunta: “Quer saber como você realmente é por dentro?” A resposta dele é categórica: “Você é exatamente igual aos seus 5 amigos mais próximos. Se eles forem positivos, atuantes, felizes e de elevada autoestima, então você também é positivo, atuante, feliz e de elevada autoestima. Mas, se eles forem negativistas, implicantes, medrosos (ou agressivos), acomodados e que reclamam de tudo, então você também é negativista, implicante, medroso (ou agressivo) e acomodado e que reclama de tudo.

Isto descreve melhor do que tudo o estado de espírito de cada um. As pessoas procuram cercar-se de indivíduos iguaizinhos a elas. Serve de alerta para todos nós.

A propósito, não custa perguntar: “Com que tipo de amigos você convive?”

NOS ACOMPANHE:
CONVERSAR PELO WHATSAPP!